EU QUERO COMPRAR UM SOFÁ NOVO! PODERIA CONVERSAR COM O MEU GATO?

10 ago

via Medicina Veterinária para Gatos Domésticos / Veterinary Medicine For Domestic Cats de Carlos Gabriel Dias MV MSc PhD em 09/08/11

di
di

Foto da web

DESTRUIÇÃO DE MOBÍLIA POR GATOS

Hoje estava um dia bem bonito. Haviam pássaros animados e pessoas energizadas caminhavam de um lado ao outro. Além desta visão inspiradora, estou de folga! Um dia para tomar decisões indulgentes. Abandonei o beiral da janela e caminhei para o sofá. Olhei ao redor e tudo parecia bem agradável. Quadros, lembranças de viagens e porta-retratos compunham a decoração perfeita. Meus olhos buscaram a mesinha linda, linda descoberta em um brechó despretensioso do Centro da Cidade. Alcancei o meu espelho que não combinava com nada, mas havia refletido metade dos meus ancestrais. Finalmente passei confortavelmente as mãos pelos braços do sofá. Não reconheci a textura. Havia tantos fios surgindo do tecido e em algumas áreas viam-se tiras penduradas como fitas desfiadas. Na ultima folga não parecia estar tão customizado! Lá no fundo veio à idéia: trocar esse sofá detonado por um modelo novo e bem confortável. Ao levantar-me animadamente, avistei um ser-vivo aproximado-se lentamente em minha direção. Chuvisco, o ser-vivo felino, passou bem perto de mim e após uma miadinha discreta e algumas piscadinhas, atracou-se com unhas e sentimentos na lateral do meu sofá. A realidade escancarou-se à minha frente. Chuvisco era a coisa mais importante da minha vida, mas eu queria também ter um sofá novo. Já sabia o porquê de não ter uma sala inteiramente nova. Decidi alugar uns filmes e ficar em casa: eu, Chuvisco e o sofá customizado.”

Gatos arranham superfícies sempre. Executam esse comportamento independente do local onde estejam. Fazem isso estimulado por influência espécie especifica. Assim, quando um comportamento precisa ser executado, não tem outro jeito. Se confinarmos o animal dentro de um apartamento, o comportamento vai ser executado de um jeito ou de outro. O que podemos fazer é “transferir” o comportamento para outro local. Deixar de executar nunca! Alguns gatos poderão executar menos ou mais o comportamento, mas sempre o fazem. Além disso, existem diferentes deflagradores como, por exemplo, uma localização preferida ou ansiedade. Gatos arranham superfícies para deixar marcas visuais no ambiente e impregnar informações olfatórias. Essas informações são traduzidas por outros gatos como delimitações e sinalizações territoriais e sociais. Vale lembrar que mesmo a nossa presença ou de outros humanos poderão ser um estímulo eficiente na deflagração deste comportamento de comunicação. Ao contrário do que muitos imaginam os gatos não afiam suas unhas intencionalmente, acabam por afiá-las em consequência do desejo de marcar visualmente e olfatoriamente o ambiente. Bem, caso seu problema seja a mobília, atenção para não punir o gato ao vê-lo executando o massacre do sofá. Punir o gato normalmente o deixa extremamente confuso e atrapalha qualquer outra abordagem. Utilize um arranhador comercial ou um toco de árvore na frente do local escolhido anteriormente. Aplicar Catnip[1] pode ser eficaz na atração pela nova superfície. O arranhador comercial não precisará ficar para sempre perto do sofá. Caso seja aceito pelo gato, após um período, poderá ser movimentado lentamente para outro cômodo da casa. Certifique-se de que o arranhador é firme o suficiente para garantir uma “arranhação” sem sustos. Arranhadores que caem ou balançam durante sua utilização não são atrativos ao gato. Aliado a esta modificação do ambiente, pode-se transformar o sofá velho em algo aversivo cobrindo-o com plástico ou adesivo dupla-face (afinal ele já está bem destruído). Ao introduzir o sofá novo mantenha-o coberto com o plástico e não retire o arranhador de perto. Feromônios[2] poderão ser úteis antes, durante e depois da introdução do sofá novo. Assim, tentamos evitar que o sofá desarmonize os odores da casa tornando-se atrativo. Bem, arranhar é um comportamento saudável e estimulante para os gatos domésticos. Se direcionado para a superfície certa, fica tudo ainda melhor. Para finalizar, como sempre, um puxão na orelha humana: por que deixar o gato arranhar o sofá velho e só incomodar-se quando vai comprar um sofá novo? Não deixe que o gato fixe o comportamento durante muito tempo antes de pedir ajuda! Dúvidas? Mandem notícias! Até a próxima, Dr. Gabriel Dias.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: